Terça-feira, 7 de Agosto de 2007
Realidade do momento.

http://olhares.aeiou.pt/domingas

 

Não tenho escrito nada porque não me tem apetecido.

Não tenho escrito nada porque o que tenho para escrever não são coisas alegres nem positivas. Mas são as coisas da minha realidade, são os meus desabafos, por isso decidi escrever.

Existe um poema cantado pela bela Marisa que eu gosto muito,aqui fica um pouco dele,

 

"As coisas vulgares que há na vida

Não deixam saudade.

Só as lembranças que doem

ou que fazem sorrir..."

Eu concordo, não em tudo mas concordo, realmente as coisas vulgares que tive na vida nem me lembro quanto mais ter saudade, pelas lembranças que me fazem sorrir sim dessas tenho saudades agora das que doem não sinto saudade nenhuma, até porque são bem recentes e estão bem presentes.

Neste momento da minha vida é isto que acontece, dor e mais dor.

Quando me estou a levantar, surgiu outra que novamente me atirou ao fundo.

Não quero nada fazer o papel de vitima, mas esta é a minha realidade, este é o meu desabafo.Sei que isto vai passar, que vou recuperar mas enquanto não acontece vai doendo.

Aínda há bem pouco tempo atrás falava sobre solidão, coisa que até aí não tinha sentido, pois parece que chegou a minha vez, nunca a tinha sentido, sinto-me sózinho ao ponto de querer sair para tomar um café e conversar e aperceber que não tinha com quem, apenas eu.

Está a ser mau e muito dificil mas sei também que vai servir para me tornar mais forte e melhor. Acredito no amor e na felicidade, sei que um dia vou amar e ser amado.

Depois há quem pense que estou bem, que o corte que fiz com o meu passado é fácil, como fui eu que o quis que estou bem, que de um dia para o outro tudo fica bem, desculpem mas não é assim, separei-me de uma pessoa que conhecia e estava junto há 16 anos, separei-me porque sou gay, não julguem que é fácil ter assumido, ter tomado a decisão que tomei.

Quando as coisas começam a melhorar e pensámos ter a pessoa certa ao nosso lado que realmente precisávamos nesta fase, não, olhámos para o lado e tão depressa essa pessoa chegou como foi!

Chego á conclusão que a vida é como estar num trapézio, é arriscado,emocionante,cheio de adrenalina, a unica diferença é que no trapézio temos uma rede para nos amparar as quedas e na Vida não!

P.S. A amizade conquista-se, não se tem por apenas querer.

Eu estou: triste e zangado
publicado por carlos às 12:44
link do post | Diz algo | favorito
|
10 comentários:
De R. a 7 de Agosto de 2007 às 19:30
Ao ler este post fiquei sem palavras como tantas outras vezes......desta vez a falta das mesmas doeu, magoou, criou sofrimento....mas talvez o mereça ou não!?Quis e quero estar ao teu lado como amigo, neste momento é o que tenho para dar....a minha AMIZADE.Não acho que seja pouco mas tu queres mais do que isso e confesso que gostava de dar mais......MAS NÃO SOU CAPAZ! Desculpa pela dor, solidão que possa provocar.Estou aqui.

Beijo de saudade

R.
De carlos a 7 de Agosto de 2007 às 19:57
Mas é assim R, nem tudo o que queremos temos.
Amizade não é pouco, a amizade que tenho pelos meus amigos,é grande e quero conservá-la. Em relação ao que eu sinto por ti, podes crer que amizade é muito pouco,agora.
Sim doi,estou só e sofro, mas isto é a vida, nada posso fazer a não ser esperar e aí quem sabe não te possa dar a amizade que queres.
Fica Bem.
Abraço
De Daniela a 7 de Agosto de 2007 às 22:00
Por mais que não sejam coisas boas, penso que deves escrever sempre que te apeteca...verdade é que por vezes estamos de tal maneira que não nos apetece escrever, nesse caso, só o deves fazer se o simples facto de o fazeres te fizer sentir melhor, mais aliviado...

Gosto quando dás noticias, o que não gosto é de te ver assim...
Confesso que tive de ler o post mais que uma vez, e mesmo assim há coisas que não percebo...
Concordo contigo quando dizes que das coisas vulgares não temos saudade, ao longo do tempo acabam por desaparecer do cantinho da nossa memória onde guardamos as nossas recordações...

Discordo contigo (não concordo totalmente) apenas quando dizes que das lembranças que doem não tens saudades...pois acreditas que comigo nem sempre é assim?...há certas lembranças que há um tempo atrás me deixavam feliz, mas que agora doem muito, certos momentos que tenho relembrado vezes sem conta ultimamente, que doem, mas que nem por isso deixo de ter saudade de os relembrar...
A verdade é que não é bom relembra-los, talvez esquecer fosse o melhor a fazer, mas talvez por ter saudade e por terem sido muito importantes para mim, não consigo pô-los de lado...
Mas estamos aqui, no teu blog, para falar de ti, e não de mim!

Quanto à solidão de que falas, talvez não saiba o que é verdadeiramente, no teu caso, tudo se complica por estares numa cidade que não é a tua, onde não estão os teus amigos de sempre...
Não penses que esta solidão se deve à opção que tomas-te, provavelmente há pessoas que não te olham da mesma forma, mas essas são aquelas que não merecem sequer o nosso tempo, vais ver que a companhia que precisas, não só para tomar um café e falar um pouco, mas sim para te acompanhar ao longo da tua vida, mais cedo do que julgas, vai surgir!

As pessoas que pensam que estás bem, apenas porque a opção foi tua, merecem exactamente o mesmo das que te falava à pouco, NADA...não merecem o nosso tempo, o nosso sofrimento, a nossa amizade, nada...apenas e só: nada!

Tal como te tinha dito, tive que reler o post mais que uma vez, pois não tinha compreendido bem sobretudo a ultima parte...
Penso que há qualquer coisa que não percebi, nomeadamente entre ti e o R...está tudo bem entre vocês? Senti alguma mágoa nas ultimas palavras que escreves-te...e também ao ler o comentário do R e o respectivo comentario que escreves-te, percebi que algo não está bem...
Pode ser só confusão minha, e estar tudo bem entre voces, gostava que sim...

beijinhos e força, muita força!

Ah! E não me importava de te fazer companhia nesse cafezinho, mas estou um pouco longe...enquanto isso, vou-te fazendo companhia por alguns instantes, pelo menos enquanto lês os comentarios! (...e olha que este é bem grande!)
Não te preocupes, como te disse, mais tarde ou mais cedo, irá aparacer alguém...

De carlos a 8 de Agosto de 2007 às 00:52
Daniela, todos os elogios e mimos que te fui dando ao londo deste tempo tornam-se poucos para o que mereces.
Sim decidi escrever porque era o que queria e porque criei o blog para contar a minha realidade e os meus desabafos. È claro que sinto saudade da fase anterior á dor, n sinto é saudade do que causou a dor. A solidão sim é dificil, conheço ainda poucas pessoas, mas aos poucos vou conhecendo mais e os que conheço estão a ser muito importantes~.
Pois com R, infelizmente n está bem, como hei-de dizer neste momento os nossos sentimentos são incompativeis, e daí o nosso ou meu afastamento.
Coisas da vida...
Podes crer que me fazes muita companhia e não achei grande o comentário, gosto que escrevas, do que escreves do que me dizes, faz-me bem e gosato muito de ti. Deveriam existir mais pessoas como tu!
Beijo grande e obrigado pela atenção e companhia.

De Sara V. a 8 de Agosto de 2007 às 04:06
Só agora reparei... Sabes que fiquei triste?! Fiquei.
Obviamente que não estava à espera que a tua "libertação" daquela que te acompanhou 16 anos fosse fácil, até porque imagino que muitas vezes, como agora em que te estás a sentir-te tão só, te soubesse bem aninhar-te no colo dela, no sofá, em frente à TV, num silêncio carinhoso e reconfortante. Talvez ela até te abraçasse mas presumo que és tu quem não a quer fazer sofrer mais com a tua presença. A amizade, às vezes, também precisa de um sono tranquilizante, não é?!
Já reparaste que nos últimos tempos a solidão, por uma causa ou por outra, te visita? É porque estás nesta fase da vida, na reconstrução. As coisas e as pessoas (certas) vão chegando devagarinho... É preciso esperar, ter paciência, acreditar. Estás a juntar as primeiras pedrinhas do castelo. Daqui a uns tempos terás mais e a construção começará a ganhar forma.
Há quem se sinta só mesmo acompanhado, o que é uma solidão muito maior.
Também percebo um pouco a frase do"ninguém para tomar café", porque eu própria, ando um pouco ao contrário dos horários dos meus amigos, pela minha opção familiar. A própria vida adulta e de gente casada e com filhos complica a assiduidade dos encontros. Tenho os miúdos e o marido, é melhor, eu sei, mas às vezes é bom falar com amigos.
Quanto a ti, tens aqui amigos e o amor da tua vida ainda não chegou. Mas agora já abriste a porta certa, é só aguardar. Eu sei que vai chegar, que vais ser feliz, amares muito e seres muito amado. Não te esqueças das pegadas na areia.
Um beijinho muito grande e uma estrelinha da sorte!
De carlos a 8 de Agosto de 2007 às 13:32
Olá,querida e boa amiga!
Adorei este teu comentário,senti mesmo que me acompanhas,que já me conheces,pois tudo o que dizes aqui sobre mim é a verdade.
Adorei também esta frase,"A amizade, às vezes, também precisa de um sono tranquilizante, não é?! "
Exactamente isso.
Beijo grande e muito,mas muito obrigado.
De Jorge a 8 de Agosto de 2007 às 07:55
Como eu te entendo tão bem miúdo...
Como eu sei perfeitamente aquilo que sentes...
Como eu imagino o quão estás a sofrer...

Por tudo isso apenas me ocorre te recordar, que após uma tormenta, o sol volta sempre a brilhar...

Já que que chegaste até aqui, não te deixes agora abater e quando eventualmente te sentires na necessidade de companhia para um café, não vás sózinho, porque quiçá algures possa estar alguém também a precisar de companhia em frente a uma chávena de café...

Abraço Grande e Uma Beijoca Sincera
De carlos a 8 de Agosto de 2007 às 13:36
Olá Jorge, sim tens razão tudo isto vai passar, eu sei que sim,acredito e quero, não sou pessoa de estar muito tempo a lamentar-me e não ir á luta, só preciso de um tempinho para me recompor.
Obrigado pela tua presença.
De Genny a 8 de Agosto de 2007 às 11:38
Tantas são as vezes que tomo esse café sozinha e olho à minha volta e vejo as outras pessoas acompanhadas...Realmente a solidão doi. Ao dares este passo na tua vida, já sabias que não ía ser fácil, mas uma coisa tu ganhaste: honestidade. Venceste a hipocrisia, agora tens que lutar com lágrimas, suor, momentos de alegria e tristeza. Todos estes adjectivos fazem parte da nossa vida, porque vivemos na Terra, porque não vivemos no Paraíso.
Um abraço, porque os kms que nos separam são muitos para bebermos esse café juntos.
De carlos a 8 de Agosto de 2007 às 13:38
Olá Genny, tens razão eu não sou o unico,mas também sei que em breve vou estar bem melhor.
Obrigado por este abraço.

Comentar post

Se me querem conhecer
Os últimos...

Saudade!

Queria ter coragem!

Desencontrado Encontro!

Aconteceu e ...

Eu só quero!

...

Parabéns!

" Do Começo ao fim"

Devaneios...

Quando não existem palavr...

O que já lá vai...
quantos me visitaram
free hit counters
free hit counters
favorito

AMANTES

Queres encontrar algo?
 
eXTReMe Tracker